quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Cemitérios do Porto

Não pretende ser um post mórbido ou sombrio, de todo. Apesar de o tema parecer lúgubre, gostaria hoje de dar destaque à iniciativa promovida pela Câmara Municipal do Porto desde 2004 - o Ciclo Cultural dos Cemitérios Municipais, que inclui actividades como concertos de música sacra, exposições fotográficas, palestras e visitas guiadas, entre outros.
Alguns dos "jardins de pedra" do Porto remontam ao séc. XVIII, sendo que só um século mais tarde surgiriam os primeiros cemitérios públicos - Lapa, Agramonte e Prado do Repouso, todos com marcada inspiração do cemitério Père Lachaise, em Paris. Proliferavam as oficinas de canteiros, que progressivamente dotaram estes locais de inúmeras manifestações de arte funerária, tornando-os autênticos "museus da morte", com uma profusão de símbolos e obras de elevado valor arquitectónico e escultórico. De destacar as contribuições de Tomás Soller, Teixeira Lopes, Soares dos Reis, entre outros.

Alguns símbolos:
  • ciprestes - representam, pela sua verdura e longevidade, a imortalidade e a ressurreição
  • colunas truncadas - colunas como símbolo de estabilidade; truncadas significam que a vida se quebrou
  • uroboro - esta cobra, engolindo a sua própria cauda, representa o tempo cíclico, a eternidade
  • tocha invertida - símbolo da purificação através da iluminação; invertida, reporta-se à morte, como inverso da vida, escuridão
  • ampulheta - transitoriedade da vida, o tempo que voa (por vezes, representada com asas de morcego - noite - e outras com asas de anjo - dia)
Aconselho vivamente a visita.

consultar www.cm-porto.pt na área dedicada a ambiente e higiene pública
Lamentavelmente não consegui postar as fotografias relativas aos símbolos. Deixo, contudo, algumas fotografias minhas dos cemitérios de Agramonte e Prado do Repouso.

2 comentários:

Helena disse...

Desconhecia por completo esta iniciativa da Câmara Municipal do Porto.
Analisar a simbologia de algo que toda a gente olha de forma banal parece-me muito interessante. Quem sabe, não será nos próximos tempos que visitarei, pela primeira vez, um dos cemitérios do Porto?

Joana Banana disse...

bolas, eu que ando sempre metida em cemitérios a fotografá-los não sabia da iniciativa ^^
Agramonte, por lá estarem sepultados os meus avós, o que me permitia andar a cirandar por lá, a ver o túmulo do Conde Ferreira e afins. O da Lapa, tão perto de nós, será o próximo a visitar, e apesar de pertencer a uma Ordem a entrada é pública.
há um grupo no deviantart dedicado exclusivamente a cemitérios mundiais, com fotografias impressionantes. depois deixo aqui o link *