sábado, 20 de dezembro de 2008

A história do bolo-rei


O bolo-rei representa os presentes que os três Reis Magos deram ao Menino Jesus aquando do seu nascimento. A côdea simboliza o ouro; as frutas, cristalizadas e secas, representam a mirra; e o aroma do bolo assinala o incenso.
Já a fava, que muitas vezes encontramos escondida na sua massa, tem uma origem histórica bem diferente. Durante os banquetes das Saturnais, em Roma, as crianças escolhiam entre si o rei da festa, tirando-o à sorte com favas. Este inocente jogo acabou por ser adaptado pelos adultos, que passaram a fazer uso das favas para votar nas assembleias.
Dado aquele jogo infantil ser característico do mês de Dezembro, a Igreja Católica decidiu relacioná-lo com a Natividade e, depois, também com a Epifania (os dias entre 25 de Dezembro e 6 de Janeiro). Esta última data acabou por ser designada pela Igreja como Dia de Reis, altura em que algumas famílias, nomeadamente em Espanha, procuram manter a tradição, não só comendo o bolo-rei como aproveitando a ocasião para distribuir presentes pelas crianças.


Para adoçar a boca, este Natal, recomendo vivamente o bolo- -rei da Petúlia :)


3 comentários:

Luísa disse...

embora não goste de bolo-rei, gostei de conhecer a história (não fazia ideia).
do que também gosto é da ideia de receber prendas do Dia de Reis. alguém quer criar uma tradiçãozinha?;)***

Morais disse...

Talvez venhas a provar também um da "badalada" Confeitaria Nacional. Algo me diz que não bate o da petúlia, ainda que não seja um profundo apreciador de bolo-rei. Digamos que dispensava a "mirra"...

Luísa disse...

concordo com a dispensa da mirra ;)