terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A evolução da língua portuguesa


Alevantar
O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.

Assentar
O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

Capom
Porta de motor de carros que, quando se fecha, faz POM!

Disvorciada
Pessoa que se diz por aí que se vai divorciar.

É assim...
Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase.
Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.

Entropeçar
Tropeçar duas vezes seguidas.

Êros
Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

Falastes, dissestes...
Articulação na 4ª pessoa do singular.
Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.

Fracturação
O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.

Inclusiver
Forma de expressar que percebemos de um assunto.
Também existe a variante 'Inclusivel'.

Númaro
Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, que está em claro desuso.

Parteleira
Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

Perssunal
O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol.
Ex.: 'Sou perssunal de futebol'.
Dica: deve ser articulada de forma rápida.

Pitaxio
Aperitivo da classe do 'mindoím'.

Prontus
Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem.

Quaise
Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais.

Tipo
Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?

Treuze
Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.


Tomo a liberdade de acrescentar a este rol a runião e tefone.

7 comentários:

Joana Banana disse...

temos sempre o já conhecido piquena ou piqueno

mas gosto das variantes de pronúncia do nome do supermercado LIDL:

o lindo, o líder, o lidel, é à vontade do freguês (literalmente)

;)*

Luísa disse...

hey, obelá, já num se pode dizer nada.....fogo.... :P

Txikia, a pequena disse...

ei vamos ao éclair! :D

Hélder disse...

Tanto tempo a gozar com intervenções com cheirinho a "é assim" e afinal nós é que estavamos errados... há que saber evoluir... é isso e os "inventos" culturais, provavelmente eventos imaginários

Hélder disse...

ah e pessoas num estado mais avançado diriam "é preciso inboluir"

Morais disse...

Eh eh eh...genial este post! =D Acrescentaria a palavra "tene", que aqui na Mourama se usa como singular de "ténis", aquilo a que os incultos chamam sapatilhas.

Txikia, a pequena disse...

eu acrescento: "o homem que teve um bebé era uma mulher, só que tomou 'asteróides' e ficou assim"

as pérolas!!